IMPACTO DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA NAS INTERNAÇÕES HOSPITALARES POR CONDIÇÕES SENSÍVEIS À ATENÇÃO PRIMÁRIA

  • Aline Baseggio Tagliari Universidade Luterana do Brasil-ULBRA
  • Caren Fernanda Muraro Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC
  • Marcelo Gitirana Gomes Ferreira Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC

Resumo

A Estratégia Saúde da Família reorganiza o modelo assistencial do Sistema Único de Saúde desde a atenção básica, garantindo ações individuais e coletivas de promoção, proteção e reabilitação da saúde, a integralidade da atenção e a responsabilidade da equipe da saúde sobre a população em seu território de referência. O objetivo foi correlacionar as taxas de internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária e a implantação da Estratégia Saúde da Família no município de Passo Fundo, Rio Grande do Sul, nos anos de 1998 a 2007, avaliando as internações hospitalares por causas evitáveis. O delineamento do estudo foi ecológico, com os dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde.
A análise dos indicadores foi baseada no período de 10 anos, separados em antes e depois da implantação da Estratégia Saúde da Família em Passo Fundo. Analisaram-se quatro períodos: 1998/1999-2000/2002, período anterior à Estratégia Saúde da Família; e o posterior à implantação, 2003/2004-2005/2007. Os resultados no período de implantação da Estratégia Saúde da Família apontaram aumento nas taxas de internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária. Nas faixas etárias de >1 a 14 anos, quando ocorreu o aumento da cobertura das equipes, notou-se redução nas taxas de internação de todas as faixas etárias, porém destacou-se que o aumento não foi significativo quando se tratou das internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária. Concluiu-se que, a cobertura das equipes de saúde deste local foi pouco significativa no que se referem a redução das taxas de internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária. Neste sentido, para que futuramente essas taxas de internações sejam significativamente reduzidas, faz-se necessário a busca por melhorias na efetividade e eficácia da cobertura destas equipes.


Palavras-chave: Hospitalização. Estratégia Saúde da Família. Atenção Primária à Saúde.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##
##submission.authorWithAffiliation##
Trata-se de estudo ecológico sobre as taxas de internação em idosos por Condições Sensíveis à Atenção Primária (CSAP) em Caxias do Sul, RS, entre 2000 e 2007, antes e depois da implantação da Estratégia Saúde da Família (ESF) no município. Como base de dados foi utilizado o Sistema de Informações Hospitalares do SUS e as estimativas da população residente (IBGE) disponibilizadas pelo DATASUS. A tabulação dos dados foi realizada através do programa TabWin. Utilizou-se a Lista Brasileira de Internações por CSAP, preconizada pelo Ministério da Saúde. As variáveis estudadas foram os Coeficientes de internação por CSAP, faixa etária, sexo, período e, para o ano de 2007, local (município vs. estado). Observou-se redução dos coeficientes e percentuais de internação por CSAP no município, em ambos os sexos e todas faixas etárias exceto em homens maiores de 80 anos. Os coeficientes em 2007 foram menores no município que no estado. Conclui-se que a ESF pode ter contribuído para a redução observada, mas são necessários estudos aprofundados para esclarecer a questão.
##submission.authorWithAffiliation##
Publicado
2017-12-02
Como Citar
TAGLIARI, Aline Baseggio; MURARO, Caren Fernanda; GOMES FERREIRA, Marcelo Gitirana. IMPACTO DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA NAS INTERNAÇÕES HOSPITALARES POR CONDIÇÕES SENSÍVEIS À ATENÇÃO PRIMÁRIA. Revista Baiana de Saúde Pública, [S.l.], v. 40, n. 4, dez. 2017. ISSN 2318-2660. Disponível em: <http://rbsp.sesab.ba.gov.br/index.php/rbsp/article/view/1958>. Acesso em: 20 set. 2019. doi: https://doi.org/10.22278/2318-2660.2016.v40.n4.a1958.
Seção
Artigos originais de temas livres

Palavras-chave

Hospitalização; Estratégia Saúde da Família; Atenção Primária