FATORES ASSOCIADOS A ACIDENTES DE TRABALHO ENTRE PROFISSIONAIS MOTOTAXISTAS

  • Loiamara Barreto Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Jéssica Meira Mendes Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Camila Rego Amorim Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Alba Benemérita Alves Vilela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Adriana Alves Nery Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Palavras-chave: Epidemiologia, Transtornos traumáticos cumulativos., Mototaxistas, Saúde do trabalhador, Condições de trabalho, Acidentes de trabalho

Resumo

O número de acidentes de trânsito envolvendo motocicleta é cada vez maior, o que expõe o profissional mototaxista à ocorrência de acidentes de trabalho. O presente estudo tem como objetivo estimar a incidência anual de acidentes de trabalho entre profissionais mototaxistas e os fatores associados a estes agravos segundo características sociodemográficas, características profissionais, condições de trabalho e presença de sintomas osteomusculares. Trata-se de estudo transversal de caráter analítico com amostra composta por 123 mototaxistas cadastrados na Associação de Mototaxistas de Jequié (taxa de resposta 77,8%). Para análise estatística, foi utilizada a técnica de regressão logística, com cálculo das razões de incidência, intervalo de confiança (95%) e nível de significância p ≤ 0,05. A incidência anual de acidentes de trabalho entre mototaxistas foi de 26,8%. Foi observada, ainda, uma incidência expressiva de acidentes entre aqueles que relataram possuir outra atividade remunerada além do serviço de mototáxi (86,7%), com associação estatisticamente significante (p = 0,03). O desempenho de duas profissões parece predispor o mototaxista a maior ocorrência de acidentes com o veículo, sendo considerado um importante problema de saúde pública.

Palavras-chave: Epidemiologia. Mototaxistas. Saúde do trabalhador. Condições de trabalho. Acidentes de trabalho.

Biografia do Autor

Loiamara Barreto Santos, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Fisioterapeuta. Mestre em Ciências da Saúde. Jequié, Bahia, Brasil.

Jéssica Meira Mendes, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Fisioterapeuta. Mestre em Ciências da Saúde. Jequié, Bahia, Brasil.

Camila Rego Amorim, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Fisioterapeuta. Mestre em Saúde Coletiva. Docente na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié, Bahia,
Brasil.

Alba Benemérita Alves Vilela, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Docente do Programa de Pós Graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié, Bahia, Brasil.

Adriana Alves Nery, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Docente e coordenadora do Programa de Pós Graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié, Bahia, Brasil.

Referências

1. Waiselfisz JJ. Mapa da violência 2012: os novos padrões da violência homicida no Brasil [Internet]. São Paulo (SP): Instituto Sangari; 2012 [citado 2013 set 14]. Disponível em: http://mapadaviolencia.org.br/pdf2012/mapa2012_web.pdf
2. World Health Organization. The global impact. In: Peden M, Scurfield R, Sleet D, Mohan D, Hyder AA, Jarawan E, Mathers C, editores. World report on road traffic injury prevention. Geneva (CH): World Health Organization; 2004. p. 33-61.
3. Amorim CR, Araújo EM, Araújo TM, Oliveira NF. Acidentes de trabalho com mototaxistas. Rev Bras Epidemiol. 2012;15(1):25-37.
4. Albuquerque MES, Morais RS, Ximenes JM, Moura CCB, Freitas RO Jr, Ximenes FRG Neto. Qualidade de vida no trabalho e riscos ocupacionais dos mototaxistas: um estudo de caso. Rev CPAQV. 2012;4(3):1-9.
5. Silva LA, Robazzi MLCC, Dalri RCMB, Terra FS, Silva JNA, Batista MHJ. Características ocupacionais de trabalhadores mototaxistas. Rev Enferm UFPE. 2014;8(10):3377-85.
6. Silva LA, Martins JT, Freitas FCT, Dalri RCMB, Robazzi MLCC. Algumas características do trabalho e do trabalhador mototaxista: revisão bibliográfica. Rev Enferm UFPE. 2009;3(3):678-86.
7. Silva MB, Oliveira MB, Fontana RT. Atividade do mototaxista: riscos e fragilidades autorreferidos. Rev Bras Enferm. 2011;64(6):1048-55.
8. IBGE Cidades [Internet]. Rio de Janeiro (RJ): IBGE; c2007. Jequié: população; 2010 [citado 2013 abr 23]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/jequie/panorama
9. Ministério da Infraestrutura [Internet]. Brasília (DF): c2016. Informações sobre frota de veículos; 2016 [citado 2015 maio 27]. Disponível em: https://infraestrutura.gov.br/component/content/article/115-portal-denatran/8552-estat%C3%ADsticas-frota-de-ve%C3%ADculos-denatran.html
10. Organização Mundial da Saúde. Classificação estatística internacional de doenças e problemas relacionados à saúde: décima revisão (CID-10). 8a ed. São Paulo (SP): Edusp; 2000.
11. Lopes F, Buchalla CM, Ayres JRCM. Mulheres negras e não-negras e vulnerabilidade ao HIV/Aids no estado de São Paulo, Brasil. Rev Saúde Pública. 2007;41(supl. 2):39-46.
12. Araújo EM, Costa MCN, Hogan VK, Mota ELA, Araújo TM, Oliveira NF. Diferenciais de raça/cor da pele em anos potenciais de vida perdidos por causas externas. Rev Saúde Pública. 2009;43(3):405-12.
13. Pinheiro FA, Tróccoli BT, Carvalho CV. Validação do Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares como medida de morbidade. Rev Saúde Pública. 2002;36(3):307-12.
14. Hosmer DW Jr, Lemeshow S. Applied logistic regression. 2a ed. New York (NY): John Wiley & Sons; 2000.
15. Oliveira NF, Santana VS, Lopes AA. Razões de proporções e uso do método delta para intervalos de confiança em regressão logística. Rev Saúde Pública. 1997;31(1):90-9.
16. Brasil. Lei nº 12.009, de 29 de julho de 2009. Regulamenta o exercício das atividades dos profissionais em transporte de passageiros, “mototaxista”, em entrega de mercadorias e em serviço comunitário de rua, e “motoboy”, com o uso de motocicleta, (…). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília (DF); 2009 jul 30. Seção 1, p. 4.
17. Castillo Avila IY, Galarza Herrera B, Palomino Gómez H. Condiciones de trabajo y salud de mototaxistas Cartagena – Colombia. Salud Uninorte. 2013;29(3):514-24.
18. Silva LA, Robazzi MLCC, Terra FS. Associação entre acidentes de trabalho e os níveis de carboxi-hemoglobina em trabalhadores mototaxistas. Rev Latino-Am Enferm. 2013;21(5):1119-26.
19. National Center for Statistics and Analysis. 2013 motor vehicle crashes: overview. Traffic Safety Facts: Research Note [Internet]. 2014 dez [citado 2015 set 14]. Disponível em: https://crashstats.nhtsa.dot.gov/Api/Public/ViewPublication/812101
20. Soares DFPP, Mathias TAF, Silva DW, Andrade SM. Motociclistas de entrega: algumas características dos acidentes de trânsito na Região Sul do Brasil. Rev Bras Epidemiol. 2011;14(3):435-44.
21. Silva DW, Andrade SM, Soares DFPP, Mathias TAF, Matsuo T, Souza RKT. Factors associated with road accidents among Brazilian motorcycle couriers. ScientificWorldJournal. 2012;2012:1-6.
22. Rodrigues CL, Armond JE, Gorios C, Souza PC. Acidentes que envolvem motociclistas e ciclistas no município de São Paulo: caracterização e tendências. Rev Bras Ortop. 2014;49(6):602-6.
23. Silva DW, Andrade SM, Soares DA, Soares DFPP, Mathias TAF. Perfil do trabalho e acidentes de trânsito entre motociclistas de entregas em dois municípios de médio porte do estado do Paraná, Brasil. Cad Saúde Pública. 2008;24(11):2643-52.
24. Herazo Y, Domínguez R, Olarte S, Quitian L. Discapacidad y mototaxismo en Cartagena, Colombia. Rev Fac Nac Salud Pública. 2011;29(4):469-73. Disponível em: http://clacso.redalyc.org/pdf/120/12021522019.pdf
25. Diniz EPH, Assunção AA, Lima FPA. Por que os motociclistas profissionais se acidentam? Riscos de acidentes e estratégias de prevenção. Rev Bras Saúde Ocup. 2005;30(111):41-50.
26. Veronese AM, Oliveira DLLC. Os riscos de acidentes de trânsito na perspectiva dos moto-boys: subsídios para a promoção da saúde. Cad Saúde Pública. 2006;22(12):2717-21.
27. Pereira AA, Fischer GJ. Acidentes de trabalho com motocicleta em Joinville, SC. Rev Saúde Ambiente. 2009;10(2):71-81.
28. Lira SVG. Comportamento preventivo e de risco no trânsito, referido por mototaxistas regulamentados em Fortaleza (CE) [dissertação]. Fortaleza (CE): Universidade de Fortaleza; 2008.
29. Paes-Machado E, Riccio-Oliveira MA. O jogo de esconde-esconde: trabalho perigoso e ação social defensiva entre motoboys de Salvador. Rev Bras Cienc Soc. 2009;24(70):91-106.
Publicado
2020-05-12
Seção
Artigos originais de temas livres