EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE: RELATO DE EXPERIÊNCIAS DA PRÁTICA DE RESIDENTES DE UNIVERSIDADES PÚBLICAS PARAENSES

  • Amanda de Queiroz Afonso Universidade do Estado do Pará
  • Ila Iandara de Souza Araújo Universidade do Estado do Pará
  • Lays Ariane Teixeira dos Santos Universidade do Estado do Pará
  • Lais Helena Rescinho Macambira Universidade Federal do Pará
  • Sarah Manuele Cuimar dos Santos Universidade do Estado do Pará
  • Sâmela Stefane Corrêa Galvão Universidade do Estado do Pará

Resumo

A educação popular em saúde prioriza o diálogo aberto sobre problemas de saúde com os atores sociais, respeitando suas culturas, reconhecendo-as como válidas e promovendo análise crítica de tal modo que os empodere como reais cidadãos. Este trabalho objetiva relatar as experiências com educação popular em saúde de residentes de universidades públicas paraenses a fim de os apresentar como caminho capaz de colaborar com saberes, tecnologias e metodologias para a construção de novas práticas no âmbito do Sistema Único de Saúde. Criou-se, assim, grupo de grávidas em Unidade de Saúde da Família no município de Ananindeua, Pará. Trata-se de relato de experiência dos residentes de Saúde da Família com grupo de gestantes, utilizando conceitos e ferramentas da educação popular, de março de 2015 a julho de 2016. Por meio de reuniões periódicas entre a equipe, elaborou-se cronograma, palestras educativas e fôlderes com informações relativas à gestação. As gestantes encontravam-se na faixa etária de 15 a 35 anos, em sua maioria multíparas, com baixo nível de escolaridade, renda familiar mensal de um salário mínimo e sem emprego formal. Nota-se que, por estarem inseridas em contexto cultural amazônico, o conhecimento empírico norteia as práticas de seu cotidiano. Metodologias ativas de educação permitem o diálogo, a troca de experiências, além de valorizar a gestante como parte importante e principal no processo de mudança de sua realidade. Apesar das barreiras encontradas para a manutenção do grupo, observou-se colaboração das gestantes nas reuniões, interação e fortalecimento da relação profissional-usuário.


Palavras-chave: Educação em saúde. Internato. Residência. Gestantes.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Fisioterapeuta. Castanhal, Pará, Brasil. 

##submission.authorWithAffiliation##

Terapeuta Ocupacional. São Paulo, São Paulo, Brasil. 

##submission.authorWithAffiliation##

Fisioterapeuta. Castanhal, Pará, Brasil.

##submission.authorWithAffiliation##

Biomédica. Belém, Pará, Brasil.

##submission.authorWithAffiliation##

Fisioterapeuta. Belém, Pará, Brasil.

##submission.authorWithAffiliation##

Enfermeira. Belém, Pará, Brasil.

Referências

1. Brasil. Ministério da Saúde. Caderno de educação popular e saúde. Brasília (DF); 2007.
2. Amaral MCS, Pontes GVP, Silva JV. O ensino de educação popular em saúde para o SUS: experiência de articulação entre graduandos de enfermagem e agentes comunitários de saúde. Interface Comun Saúde Educ. 2014;18(supl. 2):1547-58.
3. Nery VAS, Nery IG, Nery WG. Educação popular em saúde: um instrumento para a construção da cidadania. C&D Rev Eletrônica Fainor. 2012;5(1):114-29.
4. Brasil. Ministério da Saúde. II Caderno de educação popular em saúde. Brasília (DF); 2014.
5. Lobato CP. Formação dos trabalhadores de saúde na residência multiprofissional em saúde da família: uma cartografia da dimensão política [dissertação]. Londrina (PR): Universidade Estadual de Londrina; 2010.
6. Azevedo RAD, Marcolino ML, Mathias D, Curioni R. Residência multiprofissional em atenção básica: a inserção de grupos na rotina de trabalhos de um PSF no município de Petrópolis. J Manag Prim Health Care. 2016;7(1):134.
7. Riess MLR. Trabalho em grupo: instrumento mediador de socialização e aprendizagem [dissertação]. São Leopoldo (RS): Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2010.
8. Ballarin MLGS. Algumas reflexões sobre grupos de atividades em terapia ocupacional. In: Pádua EMM, Magalhães LV, organizadores. Terapia ocupacional: teoria e prática. Campinas (SP): Papirus; 2003. p. 63-76.
9. Maximino VS. Grupo de atividades com pacientes psicóticos. São José dos Campos (SP): Univap; 2001.
10. Cunha ACF, Santos TF. A utilização do grupo como recurso terapêutico no processo da terapia ocupacional com clientes com transtornos psicóticos: apontamentos bibliográficos. Cad Ter Ocup UFSCar. 2009;17(2):133-46.
11. Brasil. Ministério da Saúde. Política nacional de atenção integral a saúde da mulher: princípios e diretrizes. Brasília (DF); 2004.
12. Liebmann M. Exercícios de arte para grupos: um manual de temas, jogos e exercícios. 4a ed. São Paulo (SP): Summus, 2000.
13. Camacho KG, Vargens OMC, Progianti JM, Spíndola T. Vivenciando repercussões e transformações de uma gestação: perspectivas de gestantes. Cienc Enferm. 2010;16(2):115-25.
14. Frigo LF, Silva RM, Mattos KM, Manfio F, Boeira GS. A importância dos grupos de gestante na atenção primária: um relato de experiência. Rev Epidemiol Controle Infecç. 2012;2(3):113-4.
15. Maia SMS, Silva LR. Saberes e práticas de mães ribeirinhas e o cuidado dos filhos recém-nascidos: contribuição para a enfermagem. Rev Enf Ref. 2012;III(7):131-8.
16. Leininger M, Mcfarland MR. Transcultural nursing: concepts, theories, research & practice. 3a ed. New York: McGraw-Hill; 2002.
17. Vieira MS. Grupo de gestantes na equipe saúde da família: proposta de implantação no centro de saúde confisco, Belo Horizonte, Minas Gerais [dissertação]. Belo Horizonte (MG): Universidade Federal de Minas Gerais; 2011.
18. Souza VPS, Nunes RS, Silva DML, Viana ESR. Percepção das participantes de um curso para gestantes sobre a abordagem multidisciplinar em saúde. Rev Pesqui Fisioter. 2017;7(1):79-86.
Publicado
2020-08-12
Como Citar
AFONSO, Amanda de Queiroz et al. EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE: RELATO DE EXPERIÊNCIAS DA PRÁTICA DE RESIDENTES DE UNIVERSIDADES PÚBLICAS PARAENSES. Revista Baiana de Saúde Pública, [S.l.], v. 42, n. 4, p. 763-774, ago. 2020. ISSN 2318-2660. Disponível em: <http://rbsp.sesab.ba.gov.br/index.php/rbsp/article/view/2537>. Acesso em: 22 set. 2020. doi: https://doi.org/10.22278/2318-2660.2018.v42.n4.a2537.
Seção
Relato de experiências

Palavras-chave

Educação em saúde; Internato e Residência; Gestantes.