AS PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES EM SAÚDE E SUA RELAÇÃO COM AS EPISTEMOLOGIAS DO SUL

  • Cleyton Cézar Souto Silva Faculdade de Medicina Nova Esperança
  • Soraya Maria de Medeiros Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Resumo

Este trabalho é um ensaio crítico ancorado nas epistemologias do Sul e nas possibilidades que as práticas integrativas e complementares trazem quando ocorrem como política pública a fim de discutir a importância da (co)existência de saberes, conhecimento e práticas na saúde. Partimos da compreensão de que tais práticas são potentes por possibilitarem tanto o encontro real como simbólico dos saberes e das diferenças. As epistemologias do Sul tornam-se uma alternativa reflexiva para o cuidado em saúde pois são uma forma de constatar as dominações e limitações do paradigma dominante da ciência moderna e de suas relações desiguais de saber e poder. Desta forma, a prática e o cuidado em enfermagem podem se reinventar visando à superação dos paradigmas, efetivando uma postura mais abrangente em relação a saúde, doença e terapêutica que ultrapasse o modelo biomédico centrado no aspecto tecnomecanicista da ciência.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutor em Enfermagem na Atenção à Saúde. Docente da Faculdade de Medicina Nova Esperança. João Pessoa, Paraíba, Brasil.

##submission.authorWithAffiliation##

Doutora em Enfermagem. Docente da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, Rio Grande do Norte,
Brasil.

Referências

1. Andrade JT, Costa LFA. Medicina complementar no SUS: práticas integrativas sob a luz da antropologia médica. Saúde Soc [Internet]. 2010 [citado 2016 nov 10];19(3):497-508. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v19n3/03.pdf
2. Santos BS. Renovar a teoria crítica e reinventar a emancipação social. Benedito M, tradutor. São Paulo (SP): Boitempo; 2007.
3. Quijano A. Colonialidad y modernidad/racionalidad. Perú Indíg. 1992;13(29):11-20.
4. Barros NF, Tovey P. O ensino das terapias alternativas e complementares em escolas de enfermagem. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 2007 [citado 2016 nov 10];28(2):207-14. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/3165
5. Santos MC, Tesser CD. Um método para a implantação e promoção de acesso às práticas integrativas e complementares na atenção primária à saúde. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2012 [citado 2016 nov 10];17(11):3011-24. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v17n11/v17n11a17.pdf
6. Tesser CD. Práticas complementares, racionalidades médicas e promoção da saúde: contribuições pouco exploradas. Cad Saúde Pública [Internet]. 2009 [citado 2016 nov 10];25(8):1732-42. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009000800009
7. Almeida MC. Complexidade, saberes científicos, saberes da tradição. São Paulo (SP): Livraria da Física; 2010.
8. Mignolo WD. Desobediencia epistémica: retórica de la modernidad, lógica de la colonialidad y gramática de la descolonialidad. Buenos Aires: Ediciones del Signo; 2010. (Coléccion Razón Política).
9. Walsh C, editora. Pedagogías decoloniales: prácticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivir. Quito: Abya Yala; 2013. (Série Pensamiento Decolonial; t. 1).
10. Almeida JS, Nascimento SB, Cardoso JA, Vasconcelos AMB, Machado DG, Dourado GOL. A fitoterapia no Centro de Saúde da Família: um olhar sobre práticas integrativas no VER-SUS. Saúde Redes [Internet]. 2018 [citado 2018 out 9];4(1):193-204. Disponível em: http://dx.doi.org/10.18310%2F2446-4813.2018v4n1p193-204
11. Medeiros LCM, Machado FM, Azevedo GAV, Sousa SR. As práticas populares de cura utilizadas por rezadores no povoado Brejinho, município de Luiz Correia – PI. Esc Anna Nery Rev Enferm [Internet]. 2007 [citado 2018 out 9];11(1):112-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v11n1/v11n1a16.pdf
12. Silva GS. Benzedores e raizeiros: saberes partilhados na comunidade remanescentes de quilombolas de Santana da Caatinga: 1940-2011. Rev Mosaico [Internet]. 2010 [citado 2018 out 9];3(1):33-48. Disponível em: http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/mosaico/article/viewFile/1827/1131
13. Santos BS. Para um novo senso comum: a ciência, o direito e a política na transição paradigmática. Vol. 1, A crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência. São Paulo (SP): Cortez; 2011.
14. Maldonado-Torres N. A topologia do Ser e a geopolítica do conhecimento: modernidade, império e colonialidade. Rev Crít Ciênc Sociais [Internet]. 2008 [citado 2016 nov 10];(80):71-114. Disponível em: https://rccs.revues.org/695
15. Santos BS, Meneses MP. Epistemologias do Sul. São Paulo (SP): Cortez; 2010.
16. Santos BS. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo (SP): Cortez; 2006.
17. Sousa IMC, Bodstein RCA, Tesser CD, Santos FAS, Hortale VA. Práticas integrativas e complementares: oferta e produção de atendimentos no SUS e em municípios selecionados. Cad Saúde Pública [Internet]. 2012 [citado 2016 nov 10];28(11):2143-54. Disponível em: www.scielo.br/pdf/csp/v28n11/14.pdf
18. Guimarães MB, Souza IM, Pimentel C, Guerra J. Racionalidades e cuidados em saúde. In: Martins PH, Silva MA, Lira BF, Leão ELS, organizadores. Guía sobre post-desarrollo y nuevos horizontes utópicos. Buenos Aires: Estudios Sociológicos; 2014. p. 195-204.
19. Ayres JRCM. Sujeito, intersubjetividade e práticas de saúde. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2001 [citado 2016 nov 10];6(1):63-72. Disponível em: www.scielo.br/pdf/csc/v6n1/7025.pdf
20. Maldonado-Torres N. Sobre la colonialidad del ser: contribuciones al desarrollo de un concepto. In: Castro-Gómez S, Grosfoguel R, editores. El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre; 2007. p. 127-67.
21. Márcia EMS, Nascimento PDFS, Paula MA, Vieira CS, Frison SS, Maia MA, et al. Epistemologia do cuidado de enfermagem: uma reflexão sobre suas bases. Rev Bras Enferm [Internet]. 2016 [citado 2016 nov 10];69(6):1240-5. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v69n6/0034-7167-reben-69-06-1240.pdf
Publicado
2020-05-12
Como Citar
SILVA, Cleyton Cézar Souto; MEDEIROS, Soraya Maria de. AS PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES EM SAÚDE E SUA RELAÇÃO COM AS EPISTEMOLOGIAS DO SUL. Revista Baiana de Saúde Pública, [S.l.], v. 42, n. 2, maio 2020. ISSN 2318-2660. Disponível em: <http://rbsp.sesab.ba.gov.br/index.php/rbsp/article/view/2802>. Acesso em: 06 jun. 2020. doi: https://doi.org/10.22278/2318-2660.2018.v42.n2.a2802.
Seção
Ensaio