SITUAÇÕES DE VULNERABILIDADE VIVENCIADAS NA ADOLESCÊNCIA: REVISÃO INTEGRATIVA

  • Rejane Ceolin Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI
  • DEBORA DALEGRAVE Universidade Federal de Santa Maria - UFSM
  • CARLA ARGENTA Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões
  • ELISANGELA ARGENTA ZANATTA Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC
Palavras-chave: vulnerabilidade, adolescente, saúde

Resumo

O objetivo deste estudo foi identificar as situações de vulnerabilidade vivenciadas pelos adolescentes apresentadas em estudos da área da saúde. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, realizada nas bases de dados LILACS, Medline e SciELO, no período de 2000 a 2010. Foram eleitos 35 artigos para compor a revisão. Evidenciou-se como principais situações de vulnerabilidade vivenciadas por adolescentes: violência, doenças sexualmente transmissíveis, vírus da imunodeficiência humana/síndrome da imunodeficiência adquirira, paternidade em adolescentes, gravidez não planejada, abuso de drogas, consumo de bebidas alcoólicas, câncer do colo uterino e infecção pelo vírus do papiloma humano, sexo inseguro, tabagismo, acidentes não fatais, prostituição, homicídios e crimes. Todas essas vulnerabilidades citadas foram discutidas segundo particularidades que envolvem o plano individual, social e programático.

Biografia do Autor

Rejane Ceolin, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI
Enfermeira de Estratégia de Saúde da Família, especialista em Saúde Coletiva - Ênfase em Saúde da Família pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI - Campus de Frederico Westphalen
DEBORA DALEGRAVE, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM
Enfermeira. Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS/RS. Docente Universidade Federal de Santa Maria - UFSM, Campus Palmeira das Missões.
CARLA ARGENTA, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões
Enfermeira. Mestre em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. Docente do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões – URI – Campus de Frederico Westphalen
ELISANGELA ARGENTA ZANATTA, Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC
Enfermeira. Mestre em enfermagem. Doutoranda em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – URGS. Docente do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC
Publicado
2015-10-16
Seção
Artigo de Revisão