ORIENTAÇÕES SOBRE O DESCARTE DE RESÍDUOS GERADOS EM DOMICÍLIOS DE USUÁRIOS DE INSULINA

  • Sílvia Carla da Silva André Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo
  • Angela Maria Magosso Takayanagui Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo
Palavras-chave: educação em saúde, diabetes mellitus, enfermagem em saúde pública, eliminação de resíduos

Resumo

O objetivo deste estudo foi identificar os tipos de orientação recebidas porusuários de insulina quanto ao descarte de resíduos gerados pelo uso desse medicamentoe monitoramento glicêmico em seus domicílios. Esta pesquisa, de caráter descritivoexploratório,foi realizada em um Núcleo de Saúde da Família de Ribeirão Preto(SP), Brasil.Participaram do estudo 26 usuários de insulina, os dados foram coletados durante o mêsde julho de 2010 e, posteriormente, foram analisados por meio da estatística descritiva.Verificou-se que 61,5% (16) dos entrevistados recebeu orientação sobre o descarte dosresíduos gerados. Desses sujeitos, 62,6% (10) foram orientados a descartar as seringas eagulhas em recipientes plásticos e encaminhá-los para o serviço de saúde que frequentam.Quanto ao descarte das fitas reagentes e frascos de insulina, respectivamente, 56,2% (9) e75,2% (12) participantes afirmaram não ter recebido nenhum tipo de orientação. No que serefere à origem das orientações, 12,6% (6) dos participantes foram orientados por funcionáriosda farmácia pública. Considera-se, com este estudo, a importância da implantação de umprotocolo sobre o manejo de resíduos do serviço de saúde em domicílio para direcionar asações e orientações aos usuários de insulina.

Biografia do Autor

Sílvia Carla da Silva André, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo

Doutoranda em Enfermagem em Saúde Pública pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Mestre em Saúde Pública pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Especialista em Saúde Publica e Gestão pela Universidade de Alfenas - MG.

Enfermeira, graduada pela Universidade do Estado de Minas Gerais.   

Angela Maria Magosso Takayanagui, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo

Professora Associada do Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Publicado
2015-10-16
Seção
Artigos originais de temas livres