EDUCAÇÃO POSTURAL EM ESCOLARES: EXISTE DIFERENÇA NA APRENDIZAGEM ENTRE ESCOLAS PÚBLICAS E PRIVADAS?

  • Bartolomeu Fagundes de Lima Filho
  • Ícaro Diogo Tavares de Souza
  • Johnnatas Mikael Lopes
  • Silvana Alves Pereira
  • Marina Pegoraro Baroni Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná
Palavras-chave: Educação em saúde, Postura, Escolares.

Resumo

Objetivo: Comparar o antes e o depois de uma ação de educação postural sobre o conhecimento relativo ao modo de transportar o material escolar, o modo de se sentar e a posição ao dormir de escolares da rede pública e privada do município de Santa Cruz (RN), Brasil. Métodos: A amostra foi composta por 200 escolares do 1º ao 5º ano, e a ação, de três atividades: palestra sobre hábitos posturais, peça teatral e paródia educativa. Para comparação antes e após as intervenções, foi aplicado um questionário com figuras ilustrativas das diversas posições que poderiam ser adotadas pelo escolar. Na análise estatística, utilizou-se o teste de Mcnemar (α≤0,05). Resultados: Apenas os alunos da escola privada obtiveram aumento significativo no número de respostas corretas em todas as variáveis observadas: 16% em relação ao transporte do material escolar [55 (67,9%) versus 68 (83,9%)]; 27,5% no modo de sentar [48 (60%) versus 70 (87,5%); χ2=1,905; p<0,001]; e aumento de 18,2% no número de acertos quanto à posição ao dormir [55 (71,4%) versus 69 (89,6%); χ2=0,349; p=0,007]. Conclusão: Esta intervenção de educação postural foi eficaz no aumento do conhecimento dos escolares da rede privada. Entretanto, para a rede pública, as abordagens educacionais utilizadas neste estudo parecem não ter produzido efeito.

Publicado
2015-10-16
Seção
Artigos originais de temas livres