ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NA VISITA DOMICILIAR PUERPERAL: PERSPECTIVAS SOBRE O PAPEL PROFISSIONAL

  • Antonio Rodrigues Ferreira Júnior Universidade Estadual do Ceará
  • Rosalice Araújo de Sousa Albuquerque Centro Universitário Inta
  • Dorineide Gomes Moreira Centro Universitário Inta
  • Hermínia Maria Sousa da Ponte Universidade Estadual do Ceará
  • Maria Eunice Nogueira Galeno Rodrigues Universidade Estadual do Ceará
Palavras-chave: Enfermagem em saúde pública, Visita domiciliar, período pós-parto, Papel profissional

Resumo

O puerpério é um importante período para o desenvolvimento de ações pela equipe de saúde em busca de ampliar situações saudáveis para a mulher e seu filho. Nesse âmbito, o enfermeiro se destaca no cuidado à mulher na Atenção Primária à Saúde. Este estudo tem como objetivo analisar o papel do enfermeiro na visita domiciliar puerperal. Trata-se de uma pesquisa qualitativa exploratória descritiva, realizada em município polo da região norte do estado do Ceará, no ano de 2016, com 10 puérperas, por meio de entrevista semiestruturada individual. A análise temática otimizou o tratamento das informações, potencializada pela hermenêutica dialética. Foram construídas três categorias temáticas: prioridade para amamentação na visita domiciliar; vinculação entre o enfermeiro e a puérpera; o enfermeiro deve ampliar sua atuação na visita domiciliar puerperal. Considera-se, a partir dos resultados encontrados, que o domicílio é um espaço potente para a ampliação do papel do enfermeiro na atenção obstétrica, porém, a atuação deve ser norteada a partir da perspectiva da usuária e seus familiares.

Biografia do Autor

Antonio Rodrigues Ferreira Júnior, Universidade Estadual do Ceará

Enfermeiro. Doutor em Saúde Coletiva. Docente do Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva na Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza, Ceará, Brasil.

Rosalice Araújo de Sousa Albuquerque, Centro Universitário Inta

Enfermeira. Mestre em Saúde Coletiva. Docente do Curso de Enfermagem no Centro Universitário INTA. Sobral, Ceará, Brasil.

Dorineide Gomes Moreira, Centro Universitário Inta

Enfermeira. Sobral, Ceará, Brasil.

Hermínia Maria Sousa da Ponte, Universidade Estadual do Ceará

Enfermeira. Mestre em Saúde Coletiva. Docente do Curso de Enfermagem no Centro Universitário INTA. Sobral, Ceará, Brasil.

Maria Eunice Nogueira Galeno Rodrigues, Universidade Estadual do Ceará

Enfermeira. Mestre em Saúde Coletiva. Fortaleza, Ceará, Brasil.

Referências

Lansky S, Figueiredo VON. Acolhimento e Vinculação: Diretrizes para Acesso e Qualidade do Cuidado Perinatal. In: Brasil. Ministério da Saúde. Humanização do parto e do nascimento. Brasília (DF); Ministério da Saúde; 2014. p. 155-170.

Ricci SS. Enfermagem materno-neonatal e saúde da mulher. 3a ed. Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan; 2015.

Bernardi MC, Carraro TE, Sebold LF. Visita domiciliária puerperal como estratégia de cuidado de enfermagem na atenção Básica: Revisão Integrativa. Rev Rene. 2011;12(n. esp.):1074-80.

Yeh YC, St John W, Venturato L. Inside a postpartum nursing center: tradition and change. Asian Nurs Res (Korean Soc Nurs Sci). 2016;10(2):94-9.

Rocha GM, Cordeiro RC. Assistência domiciliar puerperal de enfermagem na Estratégia Saúde da Família: intervenção precoce para promoção da saúde. Revista da Universidade Vale do Rio Verde. 2015;13(2,):483-93.

Machado MCM, Assis KF, Oliveira FCC, Ribeiro AQ, Araújo RMA, Cury A, et al. Determinantes do abandono do aleitamento materno exclusivo: fatores psicossociais. Rev Saúde Pública 2014;48(6):985-94.

Chaput KH, Adair CE, Nettel-Aguirre A, Musto R, Tough SC. The experience of nursing women with breastfeeding support: a qualitative inquiry. CMAJ Open. 2015;3(3):E305-9.

Sousa ZNR, Rosa MC, Bastiani JAN. Maternidade: percepções de gestantes primíparas usuárias do Serviço Básico de Saúde. J Health Sci Inst. 2011;29(4):272-5.

Medeiros EAG, Boehs AE, Heidemann ITSB. O papel do enfermeiro e as recomendações para a promoção da saúde da criança nas publicações da enfermagem brasileira. Rev Min Enferm. 2013;17(2):462-7.

Souza ABQ, Fernandes BM. Diretriz para assistência de enfermagem: ferramenta eficaz para a promoção da saúde no puerpério. Rev Rene. 2014;15(4):594-604.

Andrade RD, Santos JS, Maia MAC, Mello DF. Fatores relacionados à saúde da mulher no puerpério e repercussões na saúde da criança. Esc Anna Nery. 2015;19(1):181-6.

Minayo C. O Desafio do Conhecimento, pesquisa qualitativa em saúde. 14a ed. São Paulo (SP): Hucitec; 2014.

Fontanella BJB, Luchesi BM, Saidel MGB, Ricas J, Turato ER, Melo DG. Amostragem em pesquisas qualitativas: proposta de procedimentos para constatar saturação teórica. Cad Saúde Pública. 2011;27(2):388-94.

Habermas J. Dialética e Hermenêutica: para a crítica da hermenêutica de Gadamer. Porto Alegre (RS): L± 1987.

Gadamer H. Verdade e método: traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. 11a ed. Petrópolis (RJ): Vozes; 2008.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 466, de 12 dezembro de 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União, Brasília (DF), 2013 jun 13. Seção 1.

Fontes KB, Schmdt KT, Munhoz NT. Dificuldades vivenciadas por puérperas no cuidado domiciliar com o recém-nascido. Rev enferm UFPE on line. 2015;9(Supl. 3):7516-23.

Santos AN, Alves VH, Vargas GS, Rodrigues DP, Souza RMP, Marchiori GRS. Vivência das puérperas nutrizes frente à prática do aleitamento materno. Rev Enferm UFSM. 2016;6(2):214-24.

Chowdhury R, Sinha B, Sankar MJ, Taneja S, Bhandari N, Rollins N, et al. Breastfeeding and maternal health outcomes: a systematic review and meta-analysis. Acta Paediatr. 2015;104(467):96-113.

Barbosa EMG, Sousa AAS, Vasconcelos MGF, Carvalho REFL, Oriá MOB, Rodrigues DP. Tecnologias educativas para promoção do (auto) cuidado de mulheres no pós-parto. Rev Bras Enferm. 2016;69(3):545-53.

Rodrigues TMM, Vale LMO, Leitão RAR, Silva RMO, Rocha SS, Pedrosa JIS. A visita domiciliar do enfermeiro à puérpera e ao recém-nascido. R Interd. 2011;4(2):21-6.

Oliveira FAM, Leal GC, Wolff LDG, Rabelo M, Poliquesi CB. Reflexões acerca da atuação do enfermeiro na rede cegonha. Rev enferm UFPE on line. 2016;10(Supl. 2):867-74.

Garcia ESGF, Leite EPRC, Nogueira DA. Assistência de enfermagem às puérperas em unidades de atenção primária. Rev enferm UFPE on line. 2013;7(10):5923-8.

Logsdon MC, Davis D, Eckert D, Smith F, Stikes R, Rushton J, et al. Feasibility of Two Educational Methods for Teaching New Mothers: A Pilot Study. Interact J Med Res. 2015;4(4):e20.

Mazzo MHSN, Brito RS, Santos FAPS. Atividades do enfermeiro durante a visita domiciliar pós-parto. Rev enferm UERJ. 2014;22(5):663-7.

Publicado
2021-06-10
Seção
Artigos originais de temas livres