MERCADO DE TRABALHO DO SANITARISTA EM SAÚDE COLETIVA: NOVAS PERSPECTIVAS

  • Paula Beatriz Souza Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Donátila Cristina Lima Lopes Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Cecília Nogueira Valença Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Soraya Maria de Medeiros Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Palavras-chave: Saúde coletiva, Ensino, Mercado de trabalho

Resumo

A saúde coletiva (SC) traz uma nova perspectiva de saúde, sendo um campo científico que produz saberes e conhecimentos acerca do objeto “saúde”. Objetivou-se realizar uma reflexão das oportunidades de inserção no mercado de trabalho para o profissional sanitarista e entender as esferas de formação de graduação, mestrado e doutorado em SC existentes no Brasil. Trata-se de um estudo descritivo utilizando dados secundários, no qual são descritos os materiais constantes relacionados à temática de SC, analisando fundamentos da oferta de vagas nas instituições de ensino formadoras de graduação, mestrado e doutorado, e da oferta de vagas de trabalho no período de 2013 a 2017 para a inserção dos profissionais sanitaristas no mercado. Segundo os resultados da pesquisa, a procura pelo curso de bacharel em SC vem crescendo gradativamente a cada ano, bem como a oferta de vagas na pós-graduação. Em 2017 o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) reconheceu a profissão de sanitarista no Brasil, dando expansão às ofertas do mercado. O trabalho em SC apresenta dimensões técnica, econômica, política e ideológica quanto aos valores de solidariedade, igualdade, justiça e democracia. O reconhecimento da profissão pelo MTE traz fortalecimento para a categoria. É preciso dar maior visibilidade ao curso e reivindicar das esferas governamentais incentivo para inserção do profissional sanitarista no âmbito da gestão em saúde mediante abertura de concursos públicos para a categoria.

Palavras-chave: Saúde coletiva. Ensino. Mercado de trabalho.

Biografia do Autor

Paula Beatriz Souza, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Enfermeira. Mestranda em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, Rio Grande do Norte, Brasil.

Donátila Cristina Lima Lopes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Enfermeira. Mestranda em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, Rio Grande do Norte, Brasil.

Cecília Nogueira Valença, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Docente Adjunta da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi. Santa Cruz, Rio Grande do Norte, Brasil.

Soraya Maria de Medeiros, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, Rio Grande do Norte, Brasil.

Referências

1. Organização Mundial da Saúde. Constituição da Organização Mundial da Saúde – 1946. Biblioteca Virtual de Direitos Humanos [Internet]. 2018 [citado em 2018 jan 29]. Disponível em: http://www.direitoshumanos.usp.br/index.php/OMS-Organiza%C3%A7%C3%A3o-Mundial-da-Sa%C3%BAde/constituicao-da-organizacao-mundial-da-saude-omswho.html
2. Magno LD. Dos clamores das ruas aos rumores no Congresso: uma análise da conjuntura recente da saúde no Brasil [dissertação]. Salvador (BA): Universidade Federal da Bahia; 2015.
3. Bourdieu P. O campo científico. In: Ortiz R, organizador. Pierre Bourdieu. São Paulo (SP): Ática; 1993. p. 122-55.
4. Paim JS, Almeida-Filho N. Saúde coletiva: teoria e prática. In: Paim JS, Almeida-Filho N. Saúde coletiva: teoria e prática. Rio de Janeiro (RJ): MedBook; 2014. p. 3-12.
5. Nunes ED. Saúde coletiva: história de uma ideia e de um conceito. Saúde Soc. 1999;3(2):5-21.
6. Carvalho AI. Da saúde pública às políticas saudáveis: saúde e cidadania na pós-modernidade. Ciênc Saúde Colet. 1996;1(1):104-21.
7. Birman J. A physis da saúde coletiva. Physis. 1991;1(1):7-11.
8. Paim JS, Almeida-Filho NM. Saúde coletiva: uma “nova saúde pública” ou campo aberto a novos paradigmas? Rev Saúde Pública. 1998;32(4):299-316.
9. Paim JS. Recursos humanos em saúde no Brasil: problemas crônicos e desafios agudos. São Paulo (SP): Faculdade de Saúde Pública; 1994.
10. Paim JS. Reforma sanitária brasileira: contribuição para a compreensão e crítica. Rio de Janeiro (RJ): Editora Fiocruz; 2008.
11. Brasil. Ministério do Trabalho. Ministério do Trabalho reconhece 21 novas ocupações profissionais. Agência Brasil [Internet]. 2017 mar 20 [citado em 2018 nov 8]. Disponível em: http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2017/03/ministerio-do-trabalho-reconhece-21-novas-ocupacoes-profissionais
12. Brasil. Ministério da Educação. e-MEC: cadastro nacional de cursos e instituições de educação superior [Internet]. 2018 [citado em 2018 nov 8]. Disponível em: https://emec.mec.gov.br/
13. Brasil. Ministério da Educação. Edital n. 13, de 7 de abril 2017 – Processo Seletivo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2018, Ofertas de Vagas 1º Seleção 2018 [Internet]. 2018 [citado em 2018 nov 8]. Disponível em: https://sisu.mec.gov.br/#/vagas?categoria=curso&id=1466#t
14. Brasil. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Relatório de avaliação: saúde coletiva. Brasília (DF); 2017.
15. Bosi MLM, Paim JS. Graduação em Saúde Coletiva: limites e possibilidades como estratégia de formação profissional. Ciênc Saúde Colet. 2010;15(4):2029-38.
16. Castellanos MEP, Ribeiro GS, Esperidião MA, Souto AC, Jesus KC, Silva CCG, et al. A implementação do curso de graduação em saúde coletiva do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia: da criação até a formatura da primeira turma. Rev Tempus Actas Saúde Colet. 2013;7(3):63-80.
17. Cezar DM, Ricalde IG, Santos L, Rocha CMF. O bacharel em saúde coletiva e o mundo do trabalho: uma análise sobre editais para concursos públicos no âmbito do Sistema Único de Saúde. Saúde Redes. 2015;1(4):65-73.
18. Campos GWS. Saúde pública e saúde coletiva: campo e núcleo de saberes e práticas. Ciênc Saúde Colet. 2000;5(2):219-30.
19. Brasil. Ministério da Economia. Sistema Nacional de Emprego Portal Online [Internet]. 2018 [citado em 2020 fev 10]. Disponível em: https://portalfat.mte.gov.br/programas-e-acoes-2/sistema-nacional-de-emprego-sine/
20. Catho. Vagas de administrador hospitalar [Internet]. 2018 [citado em 2018 nov 8]. Disponível em: https://www.catho.com.br/vagas/administrador-hospitalar/
Publicado
2020-08-12
Seção
Artigos originais de temas livres