CUIDADO EM SAÚDE MENTAL NO CONTEXTO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA: CONTRIBUIÇÕES DA ENFERMAGEM

  • Suianne Braga de Sousa Universidade Estadual do Ceará
  • Lourdes Suelen Pontes Costa Universidade Estadual do Ceará
  • Maria Salete Bessa Jorge Universidade Estadual do Ceará
Palavras-chave: Saúde mental, Atenção Primária à Saúde, Enfermagem

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar as contribuições da enfermagem para o cuidado em saúde mental na Atenção Primária. Trata-se de um estudo qualitativo realizado em duas unidades de Atenção Primária à Saúde (APS) na cidade de Fortaleza, capital do estado do Ceará, no período de setembro a dezembro de 2018. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada com sete enfermeiras e analisados mediante análise de conteúdo categorial. Os resultados indicaram que o cuidado em saúde mental no contexto da APS ainda é permeado por vários obstáculos, demonstrando fragilidade na formação dos profissionais e/ou desinteresse por esse tipo de atendimento. Ademais, a prática do apoio matricial pode contribuir para o cuidado em saúde mental na Atenção Primária, embora este se encontre fragilizado. Com isso, apreende-se que o profissional enfermeiro precisa apropriar-se mais do cuidado em saúde mental no contexto da APS, assim como as ações em rede e o apoio matricial necessitam ser mais bem desenvolvidos.

Palavras-chave: Saúde mental. Atenção Primária à Saúde. Enfermagem.

Biografia do Autor

Suianne Braga de Sousa, Universidade Estadual do Ceará

Graduanda em Enfermagem pela Universidade Estadual do Ceará. Bolsista da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Fortaleza, Ceará, Brasil.

Lourdes Suelen Pontes Costa, Universidade Estadual do Ceará

Enfermeira. Mestre em Saúde Coletiva. Doutoranda em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza, Ceará, Brasil.

Maria Salete Bessa Jorge, Universidade Estadual do Ceará

Doutora em Enfermagem. Pesquisadora de Enfermagem da Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza, Ceará, Brasil.

Referências

Backes DS, Sousa FGM, Mello ALSF, Erdmann AL, Nascimento KC, Lessmann JC. Concepções de cuidado: uma análise das teses apresentadas para um programa de pós-graduação em enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2006;15(esp.):71-8.

Calgaro A, Souza EN. Percepção do enfermeiro acerca da prática assistencial nos serviços públicos extra-hospitalares de saúde mental. Rev Gaúcha Enferm. 2009;30(3):476-83.

Carnut L. Cuidado, integralidade e atenção primária: articulação essencial para refletir sobre o setor saúde no Brasil. Saúde Debate. 2017;41(115):1177-86.

Organização Mundial de Saúde. Relatório sobre a saúde no mundo 2001: Saúde mental: nova concepção, nova esperança. Geneva; 2001.

Minayo MCS, organizadora. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 22a ed. Petrópolis (RJ): Vozes; 2003.

Gil AC. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6a ed. São Paulo: Atlas; 2008.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2011.

Assis MMA, Jorge MSB. Métodos de análise em pesquisa qualitativa. In: Santana JSS, Nascimento MAA, organizadores. Pesquisa: métodos e técnicas de conhecimento da realidade Social. Feira de Santana (BA): Universidade Estadual de Feira de Santana; 2010. p. 139-59.

Melo CMM, Florentino TC, Mascarenhas NB, Macedo KC, Silva MC, Mascarenhas SN. Autonomia profissional da enfermeira: algumas reflexões. Esc Anna Nery. 2016;20(4):e20160085.

Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Série E. Legislação em Saúde. Brasília (DF); 2012.

Bezerra IC, Morais BJ, Paula ML, Silva TMR, Jorge MSB. Uso de psicofármacos na atenção psicossocial: uma análise à luz da gestão do cuidado. Saúde Debate. 2016;40(110):148-61.

Ribeiro ML, Medeiros MS, Albuquerque JS, Fernandes SMBA. Saúde mental e enfermagem na estratégia saúde da família: como estão atuando os enfermeiros? Rev Esc Enferm USP. 2010;44(2):376-82.

Silva APM, Coelho BP, Souza e Souza LP, Silva KMA, Silva EP, Pinto IS, et al. Saúde mental no trabalho do enfermeiro da Atenção Primária de um município no Brasil. Rev Cuba Enferm. 2015;31(1):1-31.

Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas [Internet]. Brasília (DF); 2017 [citado em 2020 ago 25]. Disponível em: https://www.saude.gov.br/component/content/article/851-saude-mental/41047-politica-nacional-de-saude-mental-alcool-e-outras-drogas

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 4.279, de 30 de dezembro de 2010. Estabelece diretrizes para a organização da Rede de Atenção à Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília (DF); 2010.

Gurgel ALLG, Jorge MSB, Caminha ECCR, Maia Neto JP, Vasconcelos MGF. Cuidado em saúde mental na estratégia saúde da família: a experiência do apoio matricial. Rev Enferm UERJ. 2017;25:e7101.

Hirdes A, Scarparo HBK. O labirinto e o Minotauro: saúde mental na Atenção Primária à Saúde. Ciênc Saúde Colet. 2015;20(2):383-93.

Publicado
2020-10-20
Seção
Artigos originais de temas livres