APTIDÃO CARDIORRESPIRATÓRIA E EXCESSO DE PESO EM ESCOLARES: REVISÃO NA BASE DE DADOS SCIELO

Palavras-chave: Aptidão cardiorrespiratória, Obesidade, Sobrepeso, Criança, Adolescente

Resumo

A avaliação da aptidão física de obesos pode contribuir para a identificação de alterações fisiológicas que ofereçam risco à saúde. O objetivo deste estudo foi revisar os artigos publicados sobre a relação entre a aptidão cardiorrespiratória e o excesso de peso em escolares. A revisão foi realizada na base de dados SciELO, através da busca das palavras-chaves “capacidade cardiorrespiratória”, “aptidão cardiorrespiratória”, “aptidão física”, “obesidade”, “sobrepeso”, “crianças”, “adolescentes”, “escolares” e os respectivos termos em inglês, publicados entre janeiro de 2010 e dezembro de 2019. Identificou-se 285 artigos, dos quais nove estudos transversais ou longitudinais foram selecionados. Cinco deles encontraram uma maior probabilidade de inaptidão cardiorrespiratória entre escolares com sobrepeso e obesidade. Quatro relataram a relação da baixa aptidão física com maior risco de sobrepeso e obesidade. A relação entre excesso de peso e baixa capacidade cardiorrespiratória encontra resultados que a sustentam em todos os estudos incluídos nesta revisão, evidenciando a importância de monitorar esses fatores na população jovem por constituírem importantes indicadores de saúde.

Biografia do Autor

Luciana Tornquist, Universidade Federal de Pelotas

Professora de Educação Física. Mestra em Promoção da Saúde. Doutoranda em Educação Física, Bolsista Capes – Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil.

Debora Tornquist, Universidade Federal de Pelotas

Professora de Educação Física. Mestra em Promoção da Saúde. Doutoranda em Educação Física, Bolsista Capes – Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil.

Vanessa Amábile Martins, Faculdade Dom Alberto

Enfermeira. Mestra em Promoção da Saúde. Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil.

Suzane Beatriz Frantz Krug, Universidade de Santa Cruz do Sul

Doutora em Serviço Social. Docente do Departamento de Ciências da Saúde e do Programa de Pós-graduação em Promoção da Saúde da Universidade de Santa Cruz do Sul. Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil.

Dulciane Nunes Paiva, Universidade de Santa Cruz do Sul

Doutora em Ciências Pneumológicas. Docente do Departamento de Ciências da Saúde e do Programa de Pós-graduação em Promoção da Saúde da Universidade de Santa Cruz do Sul. Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil.

Hildegard Hedwig Pohl, Universidade de Santa Cruz do Sul

Doutora em Desenvolvimento Regional. Docente do Departamento de Ciências da Saúde e do Programa de Pós-graduação em Promoção da Saúde da Universidade de Santa Cruz do Sul. Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil.

Referências

Armstrong N. Aptidão aeróbica de crianças e adolescentes. J Pediatr. 2006;82(6):406-8.

Centers for Disease Control and Prevention. Historical background, terminology, evolution of recommendations, and measurement. Vol. 2, Physical Activity and Health [Internet]. Atlanta; 1999 [citado em 2020 ago 12]. Disponível em: http://www.cdc.gov/nccdphp/sgr/pdf/chap2.pdf

American College of Sports Medicine. ACSM’s guidelines for exercise testing and prescription. 7a ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2006.

Bergmann GG, Bergmann ML, Hallal PC. Independent and combined associations of cardiorespiratory fitness and fatness with cardiovascular risk factors in brazilian youth. J Phys Act Health. 2014;11(2):375-83.

Carnethon MR, Gidding SS, Nehgme R, Sidney S, Jacobs Jr DR, Liu K. Cardiorespiratory fitness in young adulthood and the development of cardiovascular disease risk factors. JAMA. 2003;290(23):3092-100.

Lamonte MJ, Barlow CE, Jurca R, Kampert JB, Church TS, Blair SN. Cardiorespiratory fitness is inversely associated with the incidence of metabolic syndrome: a prospective study of men and women. Circulation. 2005;112(4):505-12.

Kurl S, Laukkanen JA, Rauramaa R, Lakka TA, Sivenius J, Salonen JT. Cardiorespiratory fitness and the risk for stroke in men. Arch Intern Med. 2003;163(14):1682-8.

Church TS, Kampert JB, Gibbons LW, Barlow C, Blair SN. Usefulness of cardiorespiratory fitness as a predictor of all-cause and cardiovascular disease mortality in men with systemic hipertension. Am J Cardiol. 2001;88(6):651-6.

Ortega FB, Ruiz JR, Castillo MJ, Sjostrom M. Physical fitness in childhood and adolescence: a powerful marker of health. Int J Obes (Lond). 2008;32(1):1-11.

Guedes DP, Guedes JERP. Controle do peso corporal: composição corporal, atividade física e nutrição. 2a ed. Rio de Janeiro (RJ): Shape, 2003.

Ramires FJA, Fernandes F, Dantas S. O Miocárdio na Obesidade. Rev Soc Cardiol Estado de São Paulo. 2003;13(4):399-403.

Paisani DM, Chiavegato LD, Faresin SM. Volumes, capacidades pulmonares e força muscular respiratória no pós-operatório de gastroplastia. J Bras Pneumol. 2005;31(2):125-32.

Ladosky W, Botelho MAM, Albuquerque JP. Chest mechanics in morbidily obese non-hypoventilated patients. Respir Med. 2001;95(4):281-6.

Raida H, Wise RA, Fleg JL. The effect of gender on the relationship between body fat distribution and lung function. J Clin Epidemiol. 2001;54(4):399-406.

Koenig SM. Pulmonary complications of obesity. Am J Med Sci. 2001;321(4):249-79.

Machado FA, Denadai BS. Influências das variáveis antropométricas nas respostas cardiorrespiratórias de crianças durante o exercício. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2011;13(5):378-83.

Eisenmann JC, Welk GJ, Wickel EE, Blair SN. Combined influence of cardiorespiratory fitness and body mass index on cardiovascular disease risk factors among 8-18 year old youth: The Aerobics Center Longitudinal Study. Int J Pediatr Obes. 2007;2(2):66-72.

Mello ED, Luft VC, Meyer F. Obesidade Infantil: como podemos ser eficazes? J Pediatr. 2004;80(3):173-82.

Andreasil V, Michelin E, Rinaldi AEM, Burini RC. Physical fitness and associations with anthropometric measurements in 7 to 15-year-old school children. J Pediatr. 2010;86(6):497-502.

Burgos MS, Reuter CP, Burgos LT, Pohl HH, Pauli LTS, Horta JA, et al. Uma análise entre índices pressóricos, obesidade e capacidade cardiorrespiratória em escolares. Arq Bras Cardiol. 2010;94(6):739-44.

Rech RR, Halpern R, Costanzi CB, Bergmann MLA, Alli LR, Mattos AP, et al. Prevalência de obesidade em escolares de 7 a 12 anos de uma cidade Serrana do RS, Brasil. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2010;12(2):90-7.

Arriscado D, Muros JJ, Zabala M, Dalmau JM. Relación entre condición física y composición corporal en escolares de primaria del norte de España (Logroño). Nutr Hosp. 2014;30(2):385-94.

Bustamante A, Maia J. Estatus ponderal y aptitud cardiorrespiratoria en escolares de la región central del perú. Rev Peru Med Exp Salud Publica. 2013;30(3):399-407.

Gaya AR, Reuter CP, Reuter EM, Franke SIR, Pra D, Gaya ACA, et al. Cumulative incidence of youth obesity is associated with low cardiorespiratory fitness levels and with maternal overweight. Motriz: Rev Educ Fis. 2015;21(4):407-14.

Coledam DHC, Ferraiol PF, Santos JW, Oliveira AR. Fatores associados à aptidão cardiorrespiratória de escolares. Rev Bras Med Esporte. 2016;22(1):21-6.

Silva DAS, Petroski EL, Gaya ACA. Secular changes in aerobic fitness levels in brazilian children. Rev Bras Med Esporte. 2017;23(6):450-4.

Garcia-Hermoso A, Correa-Bautista JE, Olloquequi J, Ramirez-Velez R. Health-related physical fitness and weight status in 13- to 15-year-old Latino adolescents. A pooled analysis. J Pediatr. 2019;95(4):435-42.

Swinburn B, Kraak VI, Allender S, Atkins VJ, Baker PI, Bogard JR, et al. The global syndemic of obesity, undernutrition, and climate change: The Lancet commission report. Lancet. 2019;393(10173):791-846.

Guthold R, Stevens GA, Riley LM, Bull FC. Global trends in insufficient physical activity among adolescents: a pooled analysis of 298 population-based surveys with 1,6 million participants. Lancet Child Adolesc Heal. 2020;4(1):23-35.

Duarte MFS, Duarte CRD. Validade do teste aeróbico de corrida de vai-e-vem de 20 metros. Rev Bras Ciênc Mov. 2001;9(3):7-14.

Zamai CA, Rodrigues AA, Filocomo M, Braga LES, Oliveira JF, Zago Junior C. Avaliação da aptidão cardio-respiratória através do teste de caminhada em esforço controlado (TCEC). Conexões (Campinas, Online). 2010;8(2):146-58.

Projeto Esporte Brasil. Manual de testes e avaliação. Porto Alegre (RS): Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2016.

Blair SN, Kampert JB, Kohl HW, Barlow CE, Macera CA, Paffenbarger Jr RS, et al. Influences of cardiorespiratory fitness and other precursors on cardiovascular disease and all-cause mortality in men and women. JAMA. 1996;276(3):205-10.

Stevens J, Cai J, Evenson KR, Thomas R. Fitness and fatness as predictors of mortality from all causes and from cardiovascular disease in men and women in the lipid research clinics study. Am J Epidemiol. 2002;156(9):832-41.

Publicado
2019-11-01
Seção
Artigo de Revisão